O médium iniciante — Sou médium, e agora?

A mediunidade não é uma dádiva divina, ou um privilégio, é uma faculdade que todas as pessoas têm em menor ou maior grau. O que muitas pessoas chamam de intuição é um tipo de mediunidade em grau baixo, quase inconsciente.

Popularmente dizemos ser médiuns aquelas pessoas que veem, ouvem, sentem ou são capazes de perceber espíritos e outras dimensões de maneira mais intensa. Esses teriam a chamada mediunidade ostensiva.

É importante sabermos que a mediunidade não escolhe condição social, raça ou crença, ela é universal e pode se manifestar a qualquer pessoa. Outra coisa importante é saber que mediunidade não é sinônimo de santidade, as pessoas podem ser médiuns, mas ao mesmo tempo não possuírem um bom caráter. Quanto a isso o evangelho já dizia que “conhecereis a árvore pelo fruto”.

Os espíritos, entidades ou seres de outros planos e dimensões estarão afinados de acordo com a elevação moral do médium. Sendo assim, quanto mais o médium dedicar-se ao cultivo de bons sentimentos como o amor, a compaixão e a caridade, mais ele estará sintonizado e pronto para fazer conexões e trazer mensagens mais elevadas.

O contrário também é válido, ou seja, se o médium sintonizar com a raiva, vingança ou ganância atrairá esse tipo de conexão.

Sou médium, e agora?

Se você descobriu-se médium e não sabe por onde começar ou o que fazer, recomendo que não ignore essa faculdade, aprenda a trabalhar com ela. Há uma crença de que quem tem mediunidade deve ir a uma casa espírita para exercer a sua mediunidade como se o médium e a mediunidade estivesse restrita a um local físico.

Muito calma nessa hora!

Não estou dizendo que a instrução e o amparo que há nesses locais não sejam necessários. Tem muita coisa que um médium “independente”, digamos, não deve fazer sozinho justamente por não ter a devida proteção e ancoramento.

Entretanto, não é porque uma pessoa tem mediunidade que ela vai deixar de ser uma “pessoa normal”, se você quer entender que não está sozinho nisso assista a esse documentário chamado Mediunidade Descoberta (https://www.youtube.com/watch?v=oRZQr5N5Z-Q ) e você verá que existem pessoas com empregos comuns, iguaizinhas a eu e você, e que são médiuns.

Você pode ter vizinhos médiuns, colegas médiuns e nem saber disso.

O que fazer com minha mediunidade?

A mediunidade serve, primeiramente, para o médium se aperfeiçoar e tornar-se “uma pessoa melhor”.

Certa vez quando fui a um evento assistir uma palestra do Robson Pinheiro ele dizia que a mensagem transmitida vem primeiro ao médium, isso significa que ele deverá ouvir/ler tudo antes de repassar as mensagens a diante. E, sobre isso, o médium tem responsabilidade também, a de cuidar do conteúdo que está passando a diante.

O espírito Kalunga por Marcos Leão diz que o médium é médium durante 24h e estará exercendo sua mediunidade ainda que esteja em locais inapropriados.

Aí, retiramos também a mistificação da mediunidade santa, isso quer dizer que talvez você esteja no trabalho e perceba que um colega não está legal e aproveitará alguma oportunidade para conversar com ele lhe trazer uma palavra de consolo (claro que você não precisará dizer “sou médium e agora o espírito X irá falar”, não! É só usar a empatia e agir humanamente, ainda que um espírito te dite alguma coisa, evite falar para certas pessoas que foi um espírito… algumas ficariam chocadas).

Sim, queridos, com tantos afazeres em nossa vida, emprego, família, teremos mais a mediunidade e isso não é ruim. É claro que um médium, se desejar firmar o compromisso com o alto, deverá manter sua rotina de oração, contemplação ou meditação, buscando instruir-se no bem e no amor para melhor servir.

Muitas vezes os próprios espíritos auxiliarão o médium na melhor maneira de utilizar a sua mediunidade. Certa vez um espírito me sugeriu a ida em determinado local porque ele sabia que eu precisava. Mas, a escolha de ir ou não é sempre do médium.

O fato de você ser médium não quer dizer que não deva fazer determinadas coisas tais como: deixar de participar de festas ou comemorações.

Ainda que você seja aquele tipo que sente muito a vibração dos locais e fica mal, poderá e deverá aprender a lidar com isso da melhor maneira possível, porque nem sempre será possível evitar de ir a uma formatura, a um aniversário ou ao shopping.

Um médium deve estar onde estão as pessoas. Acabou o tempo da necessidade de se enclausurar para ser espiritualizado, precisamos de pessoas praticando hoje e sempre o amor ao próximo no seu dia a dia e inspirando outras dizendo que não estão sozinhas (a exemplo de Jesus, lembra?)

No começo poderá ser desafiadora a tarefa de manter a energia elevada e não perder a vitalidade, mas prometo fazer um post com algumas dicas.

Dicas extras

Assista a esse vídeo em que Marcos Leão conta um pouco sobre o processo de mediunidade dele e a interação com o espírito Kalunga que apresentará junto ao médium conteúdos no Canal do youtube Robson Pinheiro WEBtv

Quer entender a mediunidade na prática?

Inscreva-se nesse curso inspirado pelos espíritos ao Robson Pinheiro e que me auxiliou muito a entender um pouco mais sobre mediunidade.

Mediunidade na prática: https://guardioesdahumanidade.org/cursos/mediunidade

Ficou com alguma dúvida, tem alguma pergunta ou sugestão?

Comente no blog ou me envie um e-mail para micaelaorionis@gmail.com

Fiquem em paz!

Micaela, por ela mesma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s